segunda-feira, 26 de março de 2012

Porque nem sempre a vida é perfeita...

Pensei muito antes de escrever este post, mas a verdade é que já há muito tempo queria deixar o meu testemunho, pois se há uns tempos eu não conseguiria, hoje sou capaz de vos contar um pouco da minha atribulada história. Tudo começou quando eu ainda frequentava o ensino secundário, e me começaram a dizer que estava gorda e então eu meti na cabeça que tinha que emagrecer. Comecei a praticar muito exercício, bebia no mínimo 2 litros de água por dia, que me ajudava a manter-me saciada e o que no princípio era apenas uma simples dieta, depressa se tornou numa obsessão. Eu apontava tudo o que comia, que não era muito, somava as calorias dos alimentos e caso desse mais que aquilo que eu queria, tinha de recompensar com corridas, abdominais. Mas como não emagrecia o que queria, comecei a cortar nas doses. Cheguei a comprar uns comprimidos para diminuir o apetite e na altura ajudou ao que eu queria. As únicas refeições que fazia acompanhada era ao jantar, pois os meus pais não passavam muito tempo em casa e por isso não tinham muito controlo do que eu comia. A comida que me era deixada para o almoço, eu punha sempre na sanita, para que não me apanhassem. O jantar era um tormento para mim, pois estava acompanhada e não tinha maneira de me desculpar. Posso dizer que nunca forcei o vómito, isso eu nunca tentei, apenas restringia o que comia! Com o passar do tempo, o meu corpo começou a dar sinais de fraqueza, tinha tonturas, tinha muito sono, e eu fiquei preocupada pois estava a perder o controlo e fiz-me prometer a mim mesma que iria voltar a comer em condições. É tão fácil ficar viciada nisto e o peso passar a ser o mais importante na nossa vida. Quando tentava comer mais ficava mal disposta, o meu estômago já não aceitava grandes quantidades de comida. Depois toda a gente começou a reparar que estava mais magra, não paravam de me fazer perguntas, e eu sentia-me atacada, mas pensava que as pessoas só perguntavam porque tinham inveja de eu estar um pouco mais magra. Deixei de confiar nas pessoas, nos amigos e passei só a confiar em mim, pois via-os como inimigos. No entanto, tudo isto mudou. Não foi uma recuperação fácil, nunca é, mas sei que foi com um incrível carinho, paciência, amor, dedicação da minha família, dos meus verdadeiros amigos, professores e por um grupo de especialistas que eu consegui recuperar e me fizeram "renascer", pois parte de mim estava comida pela doença. Felizmente, estas pessoas nunca desistiram de mim. Quando penso nisto, nem me consigo reconhecer, mudou-me, perdi amigos, mas fundamentalmente amadureci com a experiência (não é de todo a mais correta) e fez-me ver o que realmente é importante e tem significado para mim.
Por vezes, sinto medo de fraquejar e voltar ao abismo, mas sei que não posso, pois não posso fazer sofrer aqueles que AMO e que me AMAM.



7 comentários:

Nessie disse...

Olá! :)
Venho retribuir a visita, já te estou a seguir! :)
É preciso teres muita coragem para relatares o que te aconteceu, e quero dar-te os parabéns pela tua recuperação e determinação!
Beijinhos!*


http://diario-de-uma-familia.blogspot.pt/

Miss I. disse...

Muito obrigada pela visita e por seres mais uma das minhas seguidoras! Eu tinha de deixar aqui o meu testemunho! Poderá haver alguém na mesma situação que eu estive e poderá ser útil de uma certa forma! Obrigada pelos parabéns, essas palavras valem ouro, neste tipo de casos! Embora neste momento, já tenha ultrapassado isso, acho que uma pessoa nunca fica livre totalmente, fica sempre aquela marca! Mas muito obrigada!

Beijocas!

Dama das Camélias disse...

Que grande texto! É muito bom assumires o que sofreste e assim fazeres ver a alguém o quanto está a perder.
Tenho que confessar que me faz muita confusão a estrema magreza de algumas pessoas, que não se apercebem, e ainda insistem em emagrecer mais e mais...

Ainda bem que tudo acabou bem :)
Beijinhos

Miss I. disse...

Tenho um grande amigo que hoje é psicólogo que me disse que seria bom partilhar, escrever o que vivi! E hoje, decidi escrever! Ya esse é realmente o meu objetivo, se houver por aí alguém com este problema poderá ser útil (embora quem esteja com isto se recuse a aceitar que está doente)! Acredita, que eu antes de ter anorexia, fiz muitos trabalhos para a escola sobre o tema, e recriminava quem fazia dietas malucas! A verdade é que tudo isto começou pelas pessoas dizerem "estás gorda!" e essas coisas e eu estar também numa fase psicologicamente frágil. Depois de se começar, uma pessoa já nem tem controlo, a doença domina-nos de tal forma... Ainda há cerca de um ano e meio, ia tendo uma recaída, mas consegui controlar-me! De uma certa forma, tenho medo de voltar ao mesmo, mas eu sei que consigo ser mais forte!

E a Vitória? Está difícil? Deves estar tão ansiosa!

Beijocas

Joana disse...

Olá outra vez.

Estava a dar uma vista de olhos pelo teu blog e deparei-me com este texto. Queria só dizer-te duas coisas:

1: É preciso uma enorme coragem para partilhares isto aqui.

2: Esta história podia ter sido escrita por mim, tal e qual. Se fores ao meu blog (tenho lá a minha história num separador) vês que já tive excesso de peso e que fiz uma dieta bem sucedida. Na verdade, a dada altura, eu também passei para o lado de lá. Tal como tu, nunca forcei o vómito, nunca tomei sequer comprimidos nenhuns. Mas dei por mim a controlar tudo, a apontar tudo, a contar as calorias. Nunca atingi o extremo de não comer, mas reduzi drasticamente as doses e a dada altura percebi que não estava a conseguir parar.

A tua história fez-me rever tudo aquilo que passei, e só quero dizer-te que percebo completamente aquilo que sentes, porque eu também venci isto :) Hoje em dia sigo uma alimentação saudável e tenho uma vida saudável, em todo o conceito da palavra: não como demais, mas certamente não como de menos :)

Gostei imenso de ler este texto, a sério :) E parabéns pela coragem de partilhares isto aqui :) Eu não falo disto abertamente no meu blog porque já não faz parte da minha vida e já não reflecte a pessoa que sou, mas um dia vou alertar as pessoas também :)

Beijinhos :)

Miss I. disse...

Olá!!

Quando criei este blog, senti mesmo uma necessidade enorme de expressar tudo o que vivi, para que se houvesse alguém desse lado, vissem que é possível lutar contra isto e que servisse de alerta para que não caiam no mesmo problema que enfrentei. A verdade é que ainda hoje, sinto muito medo de fraquejar, mas tenho lutado muito mesmo. Hoje já estou quase dentro da faixa de peso normal, mas sei que tenho de ter sempre muito cuidado. Mas tenho tido excelentes profissionais, amigos, família e namorado ao meu lado e isso para mim é uma enorme força!
Vou ver com certeza esse teu separador! Também tento ao máximo fazer uma alimentação saudável porque apesar de tudo é o mais indicado, já como quase as doses certas e isso tem-me ajudado a ganhar peso.
Obrigada mesmo pela tua partilha também. Gosto de saber que existem pessoas que conseguiram vencer esta doença.

Beijinhos

Ana Cristina disse...

ola... pois eu não sabia... :(

olha graças a Deus que conseguiste ultrapassar... Deve ser mesmo complicado...

beijinhos e força :)